SÃO PAULO, SP, 11.10.2017: JOÃO-DORIA - Os prefeitos de São Paulo, João Doria (PSDB), e do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (PRB), apresentam nesta quarta-feira o SP Táxi, aplicativo de transporte individual. O evento é na seda prefeitura da capital paulista. (Foto: Alice Vergueiro/Folhapress)

Em plena crise, Marcelo Crivella reajusta diárias para viagens ao exterior em quase 50%

Prefeito do Rio terá direito de gastar R$1643 por dia em viagens à Europa; reajuste para deslocamentos ao exterior não acontecia desde 2005.

SÃO PAULO, SP, 11.10.2017: JOÃO-DORIA - Os prefeitos de São Paulo, João Doria (PSDB), e do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (PRB), apresentam nesta quarta-feira o SP Táxi, aplicativo de transporte individual. O evento é na seda prefeitura da capital paulista. (Foto: Alice Vergueiro/Folhapress)

Apesar das constantes queixas de problemas financeiros no caixa do município desde o início de sua gestão, o prefeito do Rio, Marcelo Crivella, ganhou nesta terça (7) o direito de ter um dinheiro a mais para gastar em suas viagens ao exterior.

O secretário municipal da Casa Civil, Ailton Cardoso da Silva, publicou uma resolução em Diário Oficial reajustando as diárias pagas aos funcionários da prefeitura. O que chama mais a atenção são os valores para os deslocamentos no exterior. Quando Crivella e algum de seus secretários forem à Europa, por exemplo, terão direito a gastar cada um 435,87 euros (R$ 1.643, na cotação de hoje) por dia com hospedagem, locomoção e alimentação.  O valor anterior era de 297,27 euros.

 

Resolução que aumenta diárias na prefeitura do Rio

Para as viagens ao exterior com exceção da Europa, também houve um aumento semelhante. De US$ 280, o valor da diária de funcionários da cúpula da prefeitura passou para US$ 410,55 (R$1.338, na cotação de hoje).  Já as diárias para viagens dentro do país passaram de R$ 346 para R$ 507,32.

Três viagens com dinheiro público

Desde o início de sua gestão, em janeiro, o prefeito Marcelo Crivella já fez seis viagens internacionais. Três delas foram bancadas pelos cofres do município: Roterdã (Holanda), Moscou (Rússia) e Dubai (Emirados Árabes). Nesta última, realizada no mês passado, por exemplo, o prefeito e o coordenador de Relações Internacionais da prefeitura, Antônio Fernando Cruz de Mello, receberam quatro diárias de US$ 280 cada um, valor que era o padrão até hoje.

O curioso na resolução desta terça é que o secretário usou o mesmo padrão de  aumento – 46,6% – para as diárias em real, euro e dólar. Na justificativa da resolução, Ailton Cardoso da Silva alegou que o aumento é necessário por causa da “inflação acumulada” e da “desvalorização do real frente ao dólar e ao euro”.

No dia 31 de outubro, o prefeito Marcelo Crivella havia publicado um decreto delegando ao seu secretário o direito de estabelecer os novos valores para as viagens.

Valor não mudava desde 2005

Em 2005, na gestão de Cesar Maia na prefeitura do Rio, foi publicado o primeiro decreto que estabeleceu o formato atual de diárias para os servidores do município. De lá para cá, haviam sido publicados outros dois decretos, em 2008 e 2011, com reajustes dos valores. Nenhum deles, porém, havia modificado o padrão internacional até a resolução desta terça, da gestão Crivella. Em 2005, já eram US$ 280 para todas as viagens para fora do país. A partir de 2008, ficou estabelecido também o valor para a Europa (297,27 euros).

Além das viagens oficiais, Crivella também fez outras três viagens de caráter pessoal desde que assumiu o governo: Jerusalém, Orlando (EUA) e Joanesburgo (África do Sul), onde chegou a participar de um evento da Igreja Universal, da qual é bispo licenciado, num estádio local.

S.O.S Intercept

Peraí! Antes de seguir com seu dia, pergunte a si mesmo: Qual a chance da história que você acabou de ler ter sido produzida por outra redação se o Intercept não a tivesse feito?

Pense em como seria o mundo sem o jornalismo do Intercept. Quantos esquemas, abusos judiciais e tecnologias distópicas permaneceriam ocultos se nossos repórteres não estivessem lá para revelá-los?

O tipo de reportagem que fazemos é essencial para a democracia, mas não é fácil, nem barato. E é cada vez mais difícil de sustentar, pois estamos sob ataque da extrema direita e de seus aliados das big techs, da política e do judiciário.

O Intercept Brasil é uma redação independente. Não temos sócios, anúncios ou patrocinadores corporativos. Sua colaboração é vital para continuar incomodando poderosos.

Apoiar é simples e não precisa custar muito: Você pode se tornar um membro com apenas 20 ou 30 reais por mês. Isso é tudo o que é preciso para apoiar o jornalismo em que você acredita. Toda colaboração conta.

Estamos no meio de uma importante campanha – a S.O.S. Intercept – para arrecadar R$ 250 mil até o final do mês. Nós precisamos colocar nosso orçamento de volta nos trilhos após meses de queda na receita. Você pode nos ajudar hoje?

Apoie o Intercept Hoje

Conteúdo relacionado

Inscreva-se na newsletter para continuar lendo. É grátis!

Este não é um acesso pago e a adesão é gratuita

Já se inscreveu? Confirme seu endereço de e-mail para continuar lendo

Você possui 1 artigo para ler sem se cadastrar