Dilma diz que Michel Temer e seus aliados "confessam o golpe"

Dilma diz que Michel Temer e seus aliados "confessam o golpe"

Em entrevista exclusiva à TVE Bahia, ex-presidente chama ex-vice de "presidente ilegítimo e usurpador".

Dilma diz que Michel Temer e seus aliados "confessam o golpe"

Na primeira entrevista desde seu afastamento, a ex-presidente Dilma Rousseff citou a declaração em que Michel Temer diz que o impeachment foi motivado por Dilma não aceitar o plano econômico do PMDB, e não por supostas irregularidades praticadas por ela. A fala de Temer foi noticiada em primeira mão pelo The Intercept Brasil na quinta-feira (22) passada.

Veja a declaração de Dilma aqui:

“Além disso, havia também os que, com prontuário, queriam uma outra coisa: ‘Vamos aplicar um programa de governo que não foi aprovado nas urnas, um outro programa de governo.’ E isso tá sendo confessado, tem uma coisa interessante nesse golpe, eles confessam o golpe. Dois dias depois. Eles vão confessando. A última confissão foi feita pelo presidente ilegítimo e usurpador, atual no cargo, que disse o seguinte: ‘nós fizemos o impeachment para poder aplicar o programa Ponte para o Futuro’. Ora, o programa Ponte para o Futuro, que tira direito trabalhistas, tira direitos sociais, que privatiza, que vende as terras a estrangeiros, esse programa não foi aprovado nas urnas. Então, essa é uma outra razão do golpe.”

A entrevista foi conduzida pelo jornalista Bob Fernandes para a TVE Bahia e será transmitida nesta terça-feira, às 20h40, na TVE e no portal do canal.

O comentário da ex-presidente refere-se a um discurso dado por Temer na sede da Sociedade Americana/Conselho das Américas (AS/COA), em Nova York, na quarta-feira passada, dia 21, quando disse que ele e seu partido começaram a articular o afastamento de Rousseff em consequência direta da não aceitação, pela ex-presidente, do programa neoliberal do PMDB chamado “Ponte para o Futuro”.

Veja o vídeo aqui:

No mesmo evento em Nova York, as medidas foram descritas em mais detalhes pelo Ministro da Fazenda, Henrique Meirelles. O grupo de empresários na plateia era composto membros corporativos do Conselho das Américas (COA) e convidados das organizações colaboradoras, a AmCham, Câmara Americana de Comércio Brasil-Estados Unidos e BRAiN, Brasil Investimentos & Negócios.

Ao fim da palestra, os investidores tiveram a oportunidade de fazer ao ministro apenas duas perguntas que ilustram bem as preocupações que Dilma cita na entrevista à TVE. Um representante do setor automotivo perguntou “quando será que estrangeiros adquirirão terras no Brasil”, e um participante que não se identificou perguntou sobre os “planos do governo para lidar com possíveis agitações sociais em consequência a essas medidas que afetarão os bolsos de todos os brasileiros”.

A fala inesperada de Temer foi noticiada por vários meios de comunicação da mídia independente, mas foi completamente ignorada por toda a mídia tradicional, com exceção da revista Exame, Carta Capital e Jornal do Brasil.

S.O.S Intercept

Peraí! Antes de seguir com seu dia, pergunte a si mesmo: Qual a chance da história que você acabou de ler ter sido produzida por outra redação se o Intercept não a tivesse feito?

Pense em como seria o mundo sem o jornalismo do Intercept. Quantos esquemas, abusos judiciais e tecnologias distópicas permaneceriam ocultos se nossos repórteres não estivessem lá para revelá-los?

O tipo de reportagem que fazemos é essencial para a democracia, mas não é fácil, nem barato. E é cada vez mais difícil de sustentar, pois estamos sob ataque da extrema direita e de seus aliados das big techs, da política e do judiciário.

O Intercept Brasil é uma redação independente. Não temos sócios, anúncios ou patrocinadores corporativos. Sua colaboração é vital para continuar incomodando poderosos.

Apoiar é simples e não precisa custar muito: Você pode se tornar um membro com apenas 20 ou 30 reais por mês. Isso é tudo o que é preciso para apoiar o jornalismo em que você acredita. Toda colaboração conta.

Estamos no meio de uma importante campanha – a S.O.S. Intercept – para arrecadar R$ 250 mil até o final do mês. Nós precisamos colocar nosso orçamento de volta nos trilhos após meses de queda na receita. Você pode nos ajudar hoje?

Apoie o Intercept Hoje

Entre em contato

Conteúdo relacionado

Inscreva-se na newsletter para continuar lendo. É grátis!

Este não é um acesso pago e a adesão é gratuita

Já se inscreveu? Confirme seu endereço de e-mail para continuar lendo

Você possui 1 artigo para ler sem se cadastrar